Tumpik
benselwyn · 8 years
Text
O relacionamento de Ben, Jaime e Greta era estranho. Os três viviam implicando um com o outro e geralmente aconteciam algumas brigas bobas, mas o laço entre eles era forte. Afinal, mesmo que negassem, eles realmente se gostavam como irmãos, apesar do orgulho bobo típico de membros da Slytherin. E ver Greta tão abalada daquele jeito apenas serviu para torturar Benjamin um pouco mais. Já havia feito muitas coisas ruins em sua vida, mas daquela vez realmente passara dos limites. Não sabia como conseguiria conviver com aquilo. Havia se tornando um monstro e nada do que Autumn lhe dissera parecia aliviar aquele peso em suas costas. Teria que viver com isso pelo resto de sua vida. Mas nada parecia tão apavorante quando a possibilidade de perder seus amigos, de qualquer maneira que fosse. Greta nunca fora a favor dessas manifestações de purismo e Benjamin costumava evitar expor seus pensamentos perto dela, mas de uns tempos para cá ficava cada vez mais difícil. A garota sabia como ele fora criado e que não seria simples abdicar daquela maneira de viver, mas também não poderia culpa-la por não aprovar nada daquilo. Greta era a mais inteligente entre os amigos. Por que nunca a escutara?
Ben não se segurou. Suas mãos agarraram os braços de Greta e ele usou um pouco de sua força para puxá-la do sofá onde estivera sentada. O livro que estava lendo quando o garoto chegou caiu aberto entre seus pés com um estrondo. Com certo desespero, como se quisesse verificar que a garota estava realmente bem, Benjamin entrelaçou seus braços em volta do corpo pequeno dela, trazendo-a para perto em um abraço apertado. A força não seria o suficiente para machuca-la, mas enquanto os fios de cabelo de Greta faziam cócegas em seu pescoço, o rapaz sentiu a pressão do arrependimento tomar conta de seu peito. O que ele diria á ela depois daquela cena? Eles raramente compartilhavam toques carinhosos, muito menos um abraço. Certamente Greta ligaria um ponto a outro e perceberia que havia algo errado. Como não iria? — Eu sei, eu sei que foi horrível. Fiquei tão preocupado com você. Eu não... — Queria dizer a ela como os gritos e as cenas de horror também não se desprendiam de sua memória, mas no momento seu único desejo era mantê-la segura. Decepcionar sua melhor amiga nunca estivera em seus planos. E Jaime... Por Merlin, o que eles iriam pensar de Ben depois daquilo tudo?
— Não era para você estar lá, Greta. — Ben afastou a garota, mas não conseguiu olhar em seus olhos. Com um suspiro de desistência, soltou suas mãos dos braços dela, deixando seus ombros caírem. Se ele pudesse voltar no tempo, jamais teria feito aquilo. Como algumas pessoas conseguiam se sentir tão bem matando e torturando? Vira Elen, sua noiva, tão satisfeita, como se tivesse nascido para fazer os outros sofrerem. Ela era especialista naquele espetáculo, algo que ele jamais seria. E nem mais queria, também. — Nós fomos ao banquete. — Como uma desculpa, Ben abaixou-se e resgatou o livro que havia caído, fechando-o e então segurando-o entre suas mãos como se aquele pequeno objeto fosse o único capaz de lhe manter firme ali. Sabia que haviam vários de seus colegas a sua volta, não queria acabar se descontrolando e trazer qualquer tipo de suspeita para cima dele ou de alguém com quem se importava. Precisava proteger Autumn, Jaime e Greta e, se para isso fosse necessário continuar com toda aquela farsa, não iria hesitar. — Mas depois... Eles estavam planejando algo... Eu não sei... Acabei lá e... Eu sinto muito, Greta. Eu sinto muito mesmo... 
You have no idea what I would do if something happened. —— Benjamin Selwyn & Greta Catchlove [Pós-PT]
4 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Aos dezessete anos, ele já colecionava inúmeros sentimentos negativos. Mágoa, raiva, desprezo. Sentimentos duros para um garoto com tão tenra idade, seria de se pensar. Durante todo esse tempo, a mente de Benjamin trabalhava de acordo com as suas vontades, filtrando o que um dia poderia ser necessário e logo descartando aquilo que nunca viria a ser útil. Ele sempre considerara Maeve, sua irmã, uma peça sobrando em um jogo onde qualquer falha poderia causar a erupção de um vulcão. Maeve era aquela peça que estava ali somente para fazer volume, para causar boa impressão, mas que não servia para nada, ao ver do jovem garoto. Tudo para ele sempre girara em torno da importância das coisas. Nem mesmo os traidores de sangue lhe eram tão importantes e nem lhe causavam tanta raiva como acontecia com alguns de seus colegas. Aqueles que se negavam a ver que a pureza deveria ser mantida entre as famílias bruxas eram simplesmente mais alguns peões em seu tabuleiro de xadrez. Aqueles peões que ele poderia deslocar para qualquer lugar, matar a qualquer hora e nem ao menos sentir remorso por isso. Remorso era uma emoção forte, quase impossível de ser sentido pelo herdeiro Selwyn. Isso até se ver diante de uma grande encruzilhada que fora conhecer Autumn Tremblay. Mas aquilo não vinha ao caso no momento. Era algo que ele preferia manter guardado no fundo de sua mente; optaria pelo descarte ou pelo acolhimento quando julgasse não poder mais aguentar. E Ben sempre fora bom em aguentar coisas que não lhe convinham.
Liam Selwyn havia lhe presenteado com um maço de cigarros no seu aniversário de quinze anos. Cigarros de canela. No início, Benjamin não entendera o significado daquilo e relutara, tentando ver nos olhos de seu pai se aquilo tudo era apenas um truque, uma brincadeira. Já havia experimentado cigarros com seus colegas de casa, mas não era algo ao qual ele se permitisse comentar dentro de casa. Aliás, pouquíssimas coisas lhe pareciam válidas de comentários. Mas no final acabou aceitando a oferta de seu pai, que pareceu lhe sorrir com sinceridade desde... Ele havia perdido as contas de quando fora a última vez que fizera seu pai sorrir. Sabia que lhe causava mágoa ver Benjamin e Maeve tão distantes, mas não era algo ao qual o jovem Selwyn pudesse evitar.
E aquela cena, entretanto, havia ficado marcada contra suas pálpebras durante um bom tempo. Todas as vezes em que fechava seus olhos, via Liam: grandes olheiras em volta dos olhos — talvez naquela época ele até já soubesse de sua doença —, cabelo um pouco despenteado, barba rala mal feita, mas um sorriso agradável, daqueles com ternura que ele tanto recebera quando era pequeno, lhe estendendo um maço de cigarros como se aquele fosse o maior dos presentes do mundo. E era. A partir daí os cigarros o acompanhavam em qualquer lugar para onde fosse, em qualquer feito que ele realizava; marcando-o. Costumava fumar dois, dependendo do tamanho de seu estresse ou do que lhe aguardava pela frente. Geralmente, com perigos ou dificuldades maiores, o número de cigarros aumentava. E com eles, o vício de Benjamin.
— Vamos ver do que todas essas pessoas são capazes hoje. — O sorriso malicioso repuxou os cantos de sua boca e ali criou covinhas. Um cigarro pendia do canto de seus lábios, meramente aceso, quase se apagando. Aperfeiçoara com competência tudo o que se relacionava ao ato de fumar. Expelia a fumaça pelo nariz sem nem mesmo parar para pensar no que estava fazendo. Era uma sensação boa, afinal.
Dali onde estava em uma das varandas circulares, ele conseguia enxergar todo o salão da mansão dos Mulciber. Benjamin apenas comparecia naqueles eventos porque achava essencial saber de tudo o que acontecia e porque, desde muito pequeno, já havia se especializado na arte do cinismo, e adora ver como toda aquela falsidade também estava presente em todos que agora homenageavam o grande Salazar Slytherin, apesar de ninguém admitir. Tirando o cigarro da boca e mantendo-o seguro entre as pontas de seus dedos, ele afastou-se da grande branca da varanda onde estivera recostado. Aquela noite iria, literalmente, explodir. Benjamin jogou o toco do cigarro no chão, pisando sobre ele com a ponta de seu sapato para apaga-lo por completo. Com sua expressão habitual de quem dizia que nada poderia abalá-lo, o garoto seguiu para a mesa que havia sido reservada para sua família e para a família de Jaime. O melhor amigo já estava sentado e Ben ocupou o lugar ao seu lado, retribuindo o sorriso e balançando sua cabeça. Palavras não precisavam ser proferidas entre os dois, eles sempre sabiam o que estava acontecendo ou o que queriam, e estava mais do que óbvio que Jaime procurava por Lyanna.
— Este banquete está tão chato que acho que precisamos de algumas doses de firewhiskey para nos divertirmos. — Ben sussurrou de volta para o amigo, fingindo estar muito interessado no discurso do anfitrião que, sem surpresas, era a mesma monotonia de sempre. Ele odiava discursos, porque todas aquelas pessoas sempre queriam mostrar que estava tudo maravilhoso, que elas eram perfeitas e superiores ao resto. Metade daquelas pessoas só apoiava o Lorde das Trevas e a ideologia do purismo porque tinham medo e não porque realmente a entendiam. Ben sentia nojo deles. — Mas se quiser pode se matar, prometo que cuidarei muito bem da sua prima quando você não estiver mais aqui.
It's to early to get bored || @Ben Selwyn || Plot Twist 1 ||
Assim como em um sonho, Jaime havia conseguido o impossível naquela noite. Arrancar um beijo escondido de Lyanna e mesmo que não tivesse durado muito ele havia aproveitado. Nenhuma garota se comparava a prima, e talvez Jaime nunca gostasse de alguma garota como ele gostava dela. Ela possuía algo especial. Talvez fosse por lutar tanto para não aceitar seus sentimentos e isso só fazia de tudo mais incrível. Só que como em todo sonho logo após do ocorrido Lyanna havia desaparecido algo que sempre fazia quando ele roubava um beijo dela. Depois ela agia como se nada tivesse acontecido e Jaime simplesmente se odiava por ter beijado-a. De toda maneira agora estava sozinho olhando para o nada. A imagem de Lyanna em seus braços não saia de sua cabeça com um sorriso bobo voltou para dentro para terminar o serviço que seu avô havia confiado a ele.
Conversar com todas aquelas imagens do Ministério não era tão ruim. Jaime era realmente alguém interessado no futuro e em seguir aquela carreira pelo seu avô. Por mais que seus primos falassem que ele estava ganhando aquilo de bandeja não entendiam o quanto que ele se esforçava para demonstrar para seu avô que tudo que ele sempre esperava de Jaime era real. Então o sonserino conversava com cada figura que podia e não deixava de elogiar a carreira deles e até mesmo perguntava dicas e conquistava com um pouco de carisma e jeito a amizade daqueles homens. Ele sabia muito bem como fazer o jogo daquelas figuras. Era somente dizer palavras que agradavam que já os conquistava.  A noite já havia começado a bastante tempo e por isso que agora as pessoas se despediam para irem até seus lugares à mesa. 
Adultos juntos assim como adolescentes. Ao olhar Ben ao seu lado soltou um suspiro de alívio. Apesar dele tentar ser o mais agradável com seus colegas de casa alguns eram muito solitários e nunca o escutavam. De todo jeito, Jaime sorriu para o melhor amigo. Ben deveria saber o que o sorriso significava. Seus olhos buscavam Lyanna à mesa, mas não achava a prima. Se ela continuasse se escondendo assim só faria pior a si. Sabia o quanto o avô ficaria bravo caso a mesma não aparecesse ou avó que tanto lutava agora para tentar arranjar um noivado para a prima. O que Lya não sabia era que Jaime recusava todos que a avô mostrava para o mesmo. Por Jaime, Lyanna nunca se casaria contra à vontade da mesma. 
- Diga-me algo interessante ou vou me matar com esse garfo. - apontou para o garfo a sua frente enquanto sussurrava para Ben. O Sr Mulciber pedia a atenção e sem dúvidas que Jaime o olhava só para o caso de seu avô procurar por seu olhar ou até mesmo ter a atenção do anfitrião. Que sem dúvidas estava na lista de pessoas para Jaime impressionar.  As garotas de sua casa estavam todas ali e pareciam muito bonitas com seus vestidos como se estivessem em uma outra realidade onde todos eram educados e finos todos os dias. Uma grande mentira, mas Jaime não seria o delator aquela noite. Assim que teve uma brecha para o Ministro poder falar encarou Ben atrás de uma resposta, pois sua mão já estava no garfo e estava tudo tão chato que até mesmo aquela ideia de brincadeira parecia interessante.
4 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Nós já falamos sobre isso, Autumn, eu...
Tumblr media
Quer saber? Tem razão, chega. Vou te deixar voltar para seus amiguinhos e vou seguir com a minha vida, como você disse. Realmente, eu acho que não daria certo. 
Eu também falei que hoje seria a última vez. Queria fazer uma última boa memória, tenho esse direito. A vida não é justa, mas acho que já sabe disso.
Tumblr media
Não vou desistir do que acredito. Se não podemos acabar isso de um jeito agradável, então já chega. Estou indo para a aula, acho que não daria certo de qualquer jeito.
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Quem sabe você não pega essa história maravilhosa e... Bem, não, esquece. Pode ficar apenas imaginando o que fazer com ela. E se isso que me contou é para me ameaçar, O'Connor, fique sabendo que eu jamais deixarei que você faça mal á alguém, principalmente á... Cansei de perder meu tempo com você. Fique com a sua amargura para si mesma, eu não preciso disso.
Tumblr media
Ah Ben, como você é espirituoso! Sabe, eu não vejo isso de “ninguém seria capaz de se apaixonar por mim” como uma desvantagem. Amor é uma fraqueza, e o Leo aprendeu isso da pior forma. Bem, continuando nossa historinha, a noiva de meu irmão - ela sim teve ciúmes e inveja, veja bem - o avisou que, se ele não fosse um bom garoto, ela colocaria um fim na vida daquela garotinha. Ele não acreditou, estava cego de amores, pobre coitado. Achava que poderia lutar contra toda uma ideologia para viver o amor de sua vida. Quando a garota foi encontrada morta num beco qualquer de um vilarejo trouxa qualquer, ele se sentiu tão mal por ter sido egoísta ao ponto de deixar a garota que ele “amava” morrer apenas para buscar a própria felicidade, que se deixou morrer. Ele não foi assassinado, ele pediu para morrer porque não fora capaz de salvar sua sangue ruim. E por misericórdia, alguém atendeu seus desejos.
Tumblr media
18 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Me deixe adivinhar: você matou o seu irmão ou mandou alguém matá-lo, porque teve ciúmes e inveja, porque ninguém seria capaz de se apaixonar por você, porque ninguém suporta estar em um mesmo ambiente que você? É, grande história, acho que fiquei com sono depois disso.
Tumblr media
Se você diz… Ah, vamos lá! É uma boa hist��ria, veja bem. Ele era prometido para uma garota qualquer, uma Carrow se não me engano… Não, acho que era uma MacMillan… Enfim, não importa. Nossos pais arranjaram um bom casamento para ele, mas quando eles morreram ele achou que estava livre dessa obrigação. E então fugiu com uma sangue ruim por quem ele dizia estar apaixonado. Pode imaginar o que aconteceu no final?
Tumblr media
18 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
O que você está fazendo, Autumn? Há pouco tempo estava me dizendo que não podemos ficar mais juntos e agora está me provocando, mesmo sabendo que não consigo resistir a você. Isso não é nada justo.
Tumblr media
Está percebendo que esse é o meu jeito de te fazer desistir dessa loucura? Não sei se estou me saindo muito bem. 
Depende da forma que vai parabenizar.
Tumblr media
A curiosidade matou o gato sabia? Acho que não queremos mortes por aqui, certo? Acho que essa foi a coisa mais bonita que você já disse para mim. Você tá bem? Com febre ou algo do gênero. Posso te levar para a aula hospitalar.
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
É, realmente, você está tendo um incrível êxito, Autumn. Deveria parabenizá-la?
Tumblr media
Com certeza eu já deveria estar acostumado, mas você sempre me surpreende. Talvez seja esse o motivo por eu não conseguir ignorá-la, minha curiosidade é maior. Você brilha por conta própria, não precisa de nada e nem ninguém para isso. 
Quem disse que não é? Talvez eu tenha um grande sucesso com essa, pela sua reação estou fazendo um bom trabalho.
Tumblr media
Quando eu disse você não estava noivo. A situação mudou, e eu sou complicada demais e confusa. Você realmente deveria seguir em frente. Não sei mais, mas gosto de tudo que brilha. Então vou aceitar esse presente.
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Não posso tentar negar algo que não existe, Elen. Esqueça essa história.
Tumblr media
Ninguém me contou, mas eu também não estou interessado em saber. Obrigado. 
Oh não, olhe isso. Não tente negar, Benjamin. Está na sua cara! Que gracinha.
Tumblr media
Hey, alguém alguma vez já lhe contou a história do meu irmão Leonardo?
18 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Eu não mentiria, você é teimosa mesmo. Me deixar louco parece ser a meta da sua vida.
Tumblr media
Me lembro que uma vez você disse que eu não precisava aceitar o meu destino, que eu poderia mudá-lo se quisesse, e agora está se contradizendo. Te deixo as que brilham mais, afinal, elas combinam com você. E isso é bom?
Hey, vou levar isso como elogio. Não sou tão teimosa assim, ou talvez eu seja. Não posso te prometer isso. Imprudência e insensatez são meus nomes do meio. A ideia de te deixar louco é sempre intrigante.
Tumblr media
Estou terminando com isso porque não é certo. Não vamos fazer isso para sempre e cedo ou tarde vou vai casar com Elen, senão não teriam noivado. Terão uma família e eu não vou atrapalhar, então só estou facilitando o trabalho. Gosta de uma que realmente brilha, mas gosto dessa também. Temos mais em comum do que eu pensava.
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Vamos ver se não vou conseguir. O que? Do que você está falando? Apaixonado... Que bobagem, Elen. A sua imaginação está grande. Bebeu o que?
Tumblr media
Você nem mesmo me conhece para afirmar que não me suporta. Não vai conseguir me ignorar para sempre, Selwyn, sabe disso. Pode até tentar, mas agora que já sabe a verdade não conseguirá simplesmente fingir que eu não existo.
Tumblr media
Ora vamos, por que está gindo assim? Até parece que você está apaix… Mas veja esses olhinhos! Está apaixonado, Benjamin? Mas que… Interessante.
18 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Morgana lhe abençoou com toda a teimosa existente no mundo. Por favor, apenas me prometa que você vai se cuidar, e não fará nada imprudente. Você é a rainha da insensatez e isso me deixa louco.
Tumblr media
Então por que está terminando com isso? Quer dizer, a menos que você goste mesmo de todos aquelas flores que te mandam na esperança de te agradar. Eu te conheço melhor do que qualquer um deles. A constelação de Orion, está satisfeita, ruiva?
Você vai me esquecer sim. Espere só. Eu sou grande e sei me cuidar, não sou uma garota indefesa que você vai precisar defender. Sei escolher minhas batalhas e existem alguma que eu batalharia, sabe? Que bom vou acabar citando Shakespeare. “It is not in the stars to hold our destiny but in ourselves.” Acho que se aplica bem ao momento.
Tumblr media
E eu já disse que não quero alguém melhor que você. Não quero alguém perfeito que me agrade ou que vá procurar por falhas. Você não está permitido a falar coisas assim agora. Ninguém vai acabar se machucando. Agora me diz qual constelação você mais gosta?
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Posso até ser obrigado a me casar com ela, mas não serei obrigado a suportá-la. E não há nenhum modo de me apaixonar pela Elen ou sequer chegar a te esquecer. Lá vem você com essa conversa de ser bem gradinha e saber se cuidar! Acha mesmo que isso é brincadeira, Autumn? As coisas não funcionam de maneira tão simples. Saber se proteger de coisas simples é fácil, mas se proteger deles... Não, chega, não é bom falarmos disso aqui. Acha justo que, todas as vezes em que eu olhar para as estrelas, acabe lembrando de você? Eu não acho, mas vou lhe dar essa satisfação. 
Tumblr media
Só não vale sentir minha falta depois. Não, eu estou brincando. Sempre disse que você merecia alguém melhor do que eu. Agora, pelo visto, eu estou recebendo o que eu mereço. Mas eu realmente quero que você fique bem, que fique feliz. Não vou me perdoar se acabar se machucando por minha causa. 
Porém vocês agora terão de ser. Droga, Ben. Vocês terão um futuro e uma família e não está certo eu estar atrapalhando isso. É mai fácil se eu me afastar. Você pode conhecer melhor sua noiva, quem sabe até se apaixonar por ela. Então você terá me esquecido e será mais fácil para você. Não faça coisas pensando em mim. Sou grandinha e sei me defender. Teremos essa noite, vamos fazer o melhor dela. Vou te mostrar como as estrelas podem formar uma ótima lembrança.
Tumblr media
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Todo mundo sabe que eu e a Elen nunca sequer trocamos uma palavra. Não é como se fôssemos o casal perfeito ou algo assim. Por Merlin, desde quando as coisas começaram a ser tão horríveis? Eu não me importo com as consequências para mim, e sim para você. Não posso arriscar sua vida por causa disso. É que... Deveria poder haver uma escolha. Se você acha que isso vai resolver alguma coisa, por mim tudo bem. 
Tumblr media
Você não pode me pedir para ficar. Fale mais baixo, alguém pode te ouvir. Está tendo aula ali em cima de todo jeito. Ninguém pode ouvir você falar que não quer sua noiva. Sei como as coisas funcionam nesse castelo, bem até demais. Você sofrerá consequências se ficar vindo atrás de mim. Por mais que eu queria que você venha. Acho que podemos fugir para algum lugar essa noite, mas só dessa vez. A última, entendeu?
Tumblr media
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Se comprometer com uma causa não quer dizer me casar com alguém que eu não suporto. Mas quer saber? Eu vou continuar fingindo que você não existe, você continua fingindo que eu não existo e tudo voltará a ser como era. Se essa merda toda tem que acontecer mesmo, então vamos tentar não nos estressar tanto olhando um para a cara do outro por enquanto, sendo que já vai ser suficiente aguentar isso para o resto da vida.
Tumblr media
Estupidez ou não, é a realidade. Escute aqui, não sou submissa, apenas me comprometi com uma causa e estou disposta a lutar por ela, mesmo que isso envolva fazer alguns sacrifício pessoais. Não vou ficar me lamentando feito um bebezinho mimado quando existem outras coisas muito mais importante para se lutar. E quem se importa com a sua satisfação? Se nem mesmo sua família liga para ela, por que eu o faria? Oh, pobre garoto, isso não estava em seus planos? And what you gonna do? Kill me?
Tumblr media
18 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Não, eu já fiz muitas coisas estúpidas na minha vida, e te deixar sair desse jeito não vai ser uma delas. Autumn, você sabe que eu não mentiria. Olhe para mim. Não irei atrás dela. Eu não quero ela. Por favor... Por favor, não vá. Eu preciso de você agora mais do que nunca.
Tumblr media
Deixe-me ir. Eu acredito em você, esse é o problema. Eu sempre acredito em você. Não sei, por que da outra vez eu disse que se você estivesse noivo isso não iria acontecer? Talvez você goste de me iludir, realmente não sei. Eu também quero você, mas não podemos. Você está noivo e devia ir atrás dela. Não vai querer ninguém ouvindo você falar que me quer, pode ir mal para seu noivado. Saia da minha frente por favor, não tenho forças para lutar contra você. Não agora.
Tumblr media
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Por que você nunca acredita em mim Tremblay? Eu não fazia ideia de que tudo já estava planejado. Não vá embora... Ei, Autumn, pare com isso! Por qual motivo eu só te contaria isso agora? Não faz sentido, pense. Eu não quero me casar com ela! Eu quero você!
Tumblr media
Então sua família planeja seu casamento desde os sete anos e você por um acaso só descobriu isso agora? Pelos quatro fundadores como eu sou idiota. Eu deveria saber que você já estava noivo. Elen é linda e tenho certeza que vocês terão um lindo casamento, e lindos bebês agora acho que eu tenho que ir para a aula. Não vá atrás de mim, Selwyn.
Tumblr media
21 notes · View notes
benselwyn · 8 years
Text
Pode não ser incomum, mas é estupidez. Ah, qual é, Elen! Nunca pensei que você fizesse o tipo submissa. E eu não tenho nenhum plano, mas não pense você que isso me deixa satisfeito ou que, por acaso, tudo vai sair perfeito como nossos pais queriam. Um casamento arranjado não estava nos meus planos e não é o que eu quero. 
Tumblr media
No que eles estavam pensando? Bem, o mesmo que todos os pais que prometem duas pessoas em casamento, imagino eu. Ora, vamos lá Benjamin, isso não é tão incomum assim, não entendo por que está agindo como se fosse algo de outro mundo. O que esperava? Que eu estivesse me lamentando feito uma criança chorona? Esperava que eu fosse me juntar a você em algum plano para acabar com “oh, nossa, tamanha injustiça”?
Tumblr media
18 notes · View notes