Tumpik
#louis and harry
louisplumpyass · 14 days ago
Text
Tumblr media Tumblr media
enough is enough, i will just go in my corner and cry 😣
684 notes · View notes
hslwt91 · 5 months ago
Text
Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media
These photos are married
2K notes · View notes
sleepy82louih · 4 months ago
Text
Ladies and lads and non-binary pals, I officially welcome you to yet another era of Harry Edward Styles loving Louis William Tomlinson and making it everyone's problem.
1K notes · View notes
heeybear · 6 months ago
Text
Tumblr media Tumblr media
A part of my heart
1K notes · View notes
m1nd0fm1ne · a month ago
Text
Tumblr media
In your car, I'm a star and I'm burning trough you...
avisos!
harry intersex
diferença de idade (L: 40 e H: 20)
sex0 an4l
s3xo 0ral
br3eding k1nk
d3gradation k1nk
sp4nk k1nk
spit k1nk
boa leitura!
<3
Harry estava encrencado
Ele achou que seria uma boa ideia ir escondido pra uma festa no outro lado da cidade que morava, na casa de um completo desconhecido. Bom, jovens cometem erros, não? Agora Harry iria pagar o preço por sua inconsequência porque tinha acabado de acordar e se deu conta que tinha dormido no sofá da casa do tal completo desconhecido, havia outras pessoas também dormindo pela casa, a maioria seminua, sorte que Harry ainda tinha suas roupas em seu corpo. Além das pessoas adormecidas (ou talvez desmaiadas) pela casa, também tinha muitos copos, garrafas de bebida e cinzeiros espalhados. Harry era o único acordado. Ao achar sua bolsa e sua sandália, foi tentar ligar para que alguém o buscasse mas seu celular estava sem bateria. Decidiu que iria andando até conseguir alguma carona ou achar um ponto de ônibus.
Harry estava andando já á uns 15 minutos e parecia uma eternidade. Estava agora em uma estrada de interior, onde os dois lados só se via pasto e alguns bois, quase nenhum carro passava alí. Harry sentia os sinais de ressaca chegando ao que sua cabeça começou a latejar, mas não tinha certeza se era a ressaca ou o sol e tempo quente que estavam o fazendo passar mal.
Quando Harry já estava ao ponto de começar a chorar, viu um carro parado no acostamento no outro lado da rua. Era uma daquelas caminhonetes velhas e provavelmente era um velho fazendeiro dirigindo mas Harry não se importava com isso nesse momento, só precisava ir para sua casa. Foi andando até a caminhonete estacionada e quando chegou perto o suficiente pra enchergar se havia alguém lá dentro, ele viu algo inesperado.
Um homem, que parecia no mínimo uns 20 anos mais velho, estava apenas com o pênis para fora da calça enquanto se tocava. Harry ficou paralisado observando com suas bochechas vermelhas corando. O homem era realmente bonito, seu cabelo era médio, como uma tigelinha bagunçada, igual o estilo rockstar dos anos 90 e com alguns fios grillsalhos, que para Harry o fazia ainda mais gostoso. Harry só conseguia ver seu perfil, seus olhos estavam fechados mas seus cílios eram grandes ao ponto de baterem na bochecha, seu nariz grande e reto com uma pontinha redonda, seus lábios eram finos e estavam entre abertos, sua mandíbula bem marcada e com uma barba baixa. Também observava seu pescoço com veias saltadas e atraentes pra caralhos, Harry podia lambê-las. Desceu seu olhar ao colo do homem, que trabalhava suas mãos no pau, que Harry não poderia deixar passar despercebido, tinha no mínimo 20cm e também grosso, e assim como o pescoço também tinha veias, a cabeça gorda e rosada e com o falo de cor mais escura comparada a cor da pele da mão.Harry observava o movimento da mão forte que subia e descia pelo cacete grosso e bonito, babava na cena.
Depois de mais alguns minutinhos observando a punheta deliciosa, o homem estranho gozou e Harry sentiu suas pernas falharem. Foi lindo assisti-lo gozar, mas Harry rapidamente se abaixou, com medo que agora que o homem não estava mais ocupado com "algo", pudesse notar que o garoto esteve alí o observando como um maníaco o tempo todo e Harry não queria isso, ainda precisava da carona.
Depois de um tempo, quando concluiu que o homem já havia se limpado e se vestido, Harry voltou a aparecer na janela do motorista. Deu três toquinhos no vidro, que foi abaixado.
— Hmm... Oi? — O homem pergunta parecendo um pouco confuso. Era bem difícil encontrar pessoas andando nessa estrada, ainda mais alguém tão jovem e bonito (ou bonita, Louis não conseguira descobrir ainda, por mais que seu rosto seja um pouco masculino e a voz também , seu corpo é curvilíneo e feminino) como a pessoa parada alí em sua janela, mostrando seu sorriso adorável com os dentinhos da frente um pouco maiores que os outros, um adorável sorriso de coelhinho.
— Oi! Sou Harry — Estende a mão pelo vidro e Louis comprimenta, dando um sorrisinho sem dentes e sem falar seu nome. — Eu vou ser direto... preciso de uma carona até o litoral da cidade. Não posso te oferecer dinheiro pois eu tava na casa de uns desconhecidos hippies e eu tenho quase certeza que roubaram minha carteira mas eu prometo que se me levar sã e salva até em casa, meu pai poderá te pagar! O que acha? — Harry pergunta nervoso, falando um pouco mais do que deveria, torcendo para que o homem o dê a carona.
Enquanto terminou de falar, um "não" curto e grosso havia passado pela cabeça de Louis, mas ele sabia que deveria parar de ser tão carrancudo, até porque não seria assim tão mal dar carona pra alguém tão gostoso quanto Harry. Não ligava para o 'dinheiro do papai', Louis não precisava daquilo. Harry poderia pagar de outra forma, ao que enquanto o jovem falava Louis só conseguia prestar atenção em seus lábios carnudos e rosados e o quanto pareciam macios pra beijar, seus cachos cor de chocolate que balançavam em seu ombro enquanto falava e serviam de moldura pro rosto perfeito, seus olhos grandes e verdes assim como os cílios que lembravam Louis a de um cachorrinho pidão, também percebeu que havia resquícios de maquiagem preta na parte envolta dos olhos. Louis iria dar a carona e se Harry se comportar, poderá ganhar algo a mais.
— Tudo bem, entra aí — Louis falou se virando pra abrir a porta do carona que só abria pelo lado de dentro. Ao abrir a porta, pôde ver Harry por inteiro e Louis tinha que ser honesto, parecia algo enviado pelos deuses (ou demônios), era tudo que Louis havia pedido quando encostou seu carro em uma rua deserta, para bater uma punheta.
Harry usava um shorts jeans de cintura baixa que revelava uma parte de sua tatuagem na parte baixa da barriga, e tão curto que nem cobria a metade de suas coxas bonitas, uma regata branca justa que marcava os mamilos dos peitos bonitos e por cima uma jaqueta jeans pequena que ia apenas até sua cintura, deixando sua bunda descoberta, onde Louis percebeu que a parte da polpa de sua bunda aparecia pelo shorts que não cobria nada. Seus pés estavam descalços e Harry segurava uma bolsa pequena e suas sandálias na mão.
Assim que fechou a porta, Louis ligou o carro e deu uma partida brusca, que fez o corpo de Harry alavancar para frente dando um pequeno pulinho, que consequentemente o fez abrir as pernas por onde Louis pode ver a calcinha vermelha de renda que usava por debaixo do short deixando o homem ainda mais atentado para provar do corpinho de Harry.
Eles estavam ainda na mesma estrada, nenhum dos dois havia abrido a boca ainda então Harry tomou liberdade para ligar o rádio, Louis apenas acompanhou o movimento do mais novo pelos cantos dos olhos, Harry passava as estações até achar uma que tocasse algo que gostasse, parou quando ouviu a batida animada de Touch Me do The Doors, o que não combinava muito pro momento mas descrevia exatamente o que passava pela mente dos dois.
Louis sorriu pela escolha de Harry, não passou pela cabeça que o jovem gostava das mesmas músicas que ele, parece do tipo que ouve pop ou essas coisas de jovem.
— Uh a princesinha gosta de rock? — Louis pergunta enquanto batuca os dedos no volante.
— Sim? Surpreso? — Harry arqueia as sombrancelhas, pronto pra confrontar Louis, sorrindo bobo pelo apelido inesperado.
— Achei que gostasse de Justin Bieber — Louis fala apenas provocando e Harry ri sarcástico.
— E o que mais supôs sobre mim, Sr. Misterioso Que Não Me Contou Seu Nome Ainda?
— Louis, Louis Tomlinson mas eu gostei do 'Senhor' — Louis fala com malícia explícita e Harry estava tentando ao máximo não se deixar levar pelo tesão e a invasão da imagem de Louis punhetando no carro vindo constantemente em sua mente mas era difícil quando o mais velho continuava o provocando dessa forma.
Louis nota o que sua fala causou em Harry e a forma em que roçava suas coxas e tinha suas mãos inquietas mas continuou respondendo a pergunta antes feita.
— Você é uma puta mimada e filhinho de papai que tem tudo o que quer na mão mas prefere sair sozinho por aí indo a festas de estranhos e pedindo carona pra homens mais velhos enquanto implora com os olhos pra ser fodido forte ou acha que eu não percebi o quanto você encara meu pau enquanto esfrega as pernas, hm? — Louis fala sem um pingo de vergonha e Harry está boquiaberto sem saber como aquele homen tinha lido seus pensamentos e nem como responder.
— O que é, princesa? Te assustei? — Louis pergunta em falsa preocupação e rindo com escárnio enquanto observa Harry pelos cantos dos olhos, sua expressão de criança assustada.
— S-se o senhor sabe que estou implorando pra ser f-fudido o que está esperando? — Harry fala gaguejando em um impulso de coragem, nunca tinha transado com um estranho, estava a mercê de Louis em uma estrada deserta, o homem mais velho poderia fazer simplesmente o que quisesse com Harry e aquilo estava molhando ainda mais a calcinha do jovem.
Louis dá uma pisada brusca no freio, parando no meio da rua o que apavora Harry mais ainda, que inconscientemente está afastando seu corpo de Louis, estando praticamente colada á porta e seu peito descendo e subindo com a incerteza do que poderia acontecer agora. Mas de forma alguma estava com medo a ponta de não querer aquilo, de querer que Louis recuasse de toca-lá, queria aquilo mais que tudo no momento, precisava do toque bruto daquele homem grande e mais velho, a usando como um brinquedo, sua xotinha pulsava por isso.
Louis solta seu cinto e se aproxima de Harry, agarrando seus cabelos e trazendo seu rosto bem próximo ao seu, seus narizes se encostavam.
— Acha que consegue bancar a fodona mas está apavorada com o que eu posso fazer com você, não é? Mas foi você que me pediu, princesa, por que tá assim? Que tal... ao invés de você me dar o dinheiro sujo do seu papai playboy, você me deixa te usar como brinquedinho de foda, como um buraco que eu uso pra gozar, hm? O que acha? — Louis propõe se divertindo com o quanto Harry parecia assustada e excitada ao mesmo tempo, seus olhinhos verdes e inocentes brilhando em puro terror e expectativa.
— Eu quero, Senhor — Harry concente e Louis lambe os lábios, e o jovem se sente como uma presa pronta para o abate e Louis é seu predador, lambendo seus lábios com desejo e fome e derrepente Harry sente seu medo e tesão se aflorando em um conjunto de sensações que o deixam confuso.
Louis nesse momento se pune mentalmente por andar com essa caminhonete que mais parece uma lata velha e que não tem um banco de trás para que possa ter um lugar espaçoso para fuder com Harry. Terá que se virar com o que tem.
Harry se põe de joelhos no banco, com seu corpo virado para o banco do motorista onde Louis estava sentado observando com uma pose autoritária e intimidadora. — Tira a roupa pra mim, princesa — Mas Harry está paralisado, ele quer aquilo, porra como quer, mas poderia tornar aquilo muito mais interessante, pros dois visto pelo prazer sádico de Louis por humilhar e masoquista de Harry por simplesmente amar a humilhação, sabia como irritar Louis para conseguir o sexo que quer, forte, cru, sujo, rude e bruto.
Harry balança a cabeça negando ao pedido de Harry, pondo em sua cara sua feição mais inocente e assustada.
— Não? Como assim 'não', princesa? Achei que tínhamos um acordo — Louis estala sua língua no seu da boca — Se você não tirar sua roupa sozinha, eu terei que fazer por você e eu não vou ser gentil, Harry — Louis fala se aproximando de Harry que tenta esquivar enquanto repete "não, não" em sussuros mas que saem como gemidos. Louis tirou primeiro a jaqueta e depois ergueu a regata de uma só vez e depois desabotou os shorts e o passou pelas pernas, revelando todo seu corpinho bonito, deixou a peças jogadas no chão do carro.
— Não finja que está envergonhada ou que não quer isso, é patético quando você só passa de uma puta. — Louis fala não conseguindo controlar suas palavras e lado sadista, talvez seu maior fetiche fosse humilhação principalmente por palavras e o fato de Harry praticamente gemer cada vez que falava de tal forma apenas aumentava este seu lado.
Louis leva sua mão ao pescoço de Harry, apertando alí e logo descendo sua mão entre o meio dos peitos de Harry e sua barriga até chegar próximo ao tecido da calcinha, onde pôs sua mão entre as coxas apertadinhas e pode sentir o quão úmido o tecido se encontrava, também sanou suas dúvidas sobre o sexo de Harry ao que sentiu sua boceta gordinha alí.
— Então você tem uma bocetinha, amor? Estava guardando essa surpresa de mim? Achou que eu não iria gostar? Eu amei e sabe o porquê? — Harry nega balançando sua cabeça cacheada e um biquinho nos lábios rosados — Porque agora eu posso maltratar três de seus buracos e enche-los com minha porra, você vai gostar, princesa? — Louis fala e Harry geme sentindo que poderia gozar só com todas as palavras sujas que saiam da boca do mais velho e os pronomes femininos que insistia em usar, Harry usava os dois mas não podia negar que ser chamado no feminino por Louis era o mais apropriado.
— Você tenta fugir de mim mas geme só com as minhas palavras. E ainda posso sentir o quanto tá se molhando e implorando por mim. Puta!— Louis cospe no corpinho ao fim de sua fala e espalha a saliva, tornando Harry uma bagunça. Leva seu dedo médio no meio das coxas bonitas massageia levemente o grelinho por cima da calcinha mas logo trata de tirá-la, o mais velho guarda o pequeno tecido vermelho no bolso de trás de sua calça.
Louis começa a passar as mãos pesadas por todo o corpo, que comparado ao seu era miúdo e delicado, explorava cada pedaço e curva, apertando, alisando e beliscando, deixando-o todo marcado. Harry era linda e gostosa. Levou as mãos aos peitos de Harry e sua mão grande podia cobri-los inteiro, brincou um pouco com eles, os molhando com as cuspidas, causando mais gemidinhos em Harry. Seus peitos eram simplesmente adoráveis, tinha as auréolas amarronzadas e os biquinhos pontudos, seus peitos não eram grandes nem pequenos, do tamanho perfeito, cabiam perfeitamente na palma da mão de Louis. O mais velho, tomado pela atração nos peitinhos, os agarrou e passou a apertar e estapear sem conter sua força, observando-os ficarem cada vez mais avermelhados.
— Se-senhor dói... assim dói — Harry gemia agoniada, tentando fugir da estimulação bruta em seus peitinhos sensíveis. Sentindo seus olhos encherem de lágrimas pela dor gostosa.
— Eles são lindos assim como você, princesa... mas ficam muito melhor molhados com a minha saliva e vermelhos de tapas — Louis bate em cada um mais uma vez, soltando gritinhos de Harry.
— Por favor chega! — Harry pede, lágrimas gordas já saindo de seus olhos e molhando suas bochechas. Louis leva suas duas mãos nas bochechas de Harry, envolvendo-as com ternura e deixando um carinho leve alí, consolando-o. Harry praticamente ronronava mas a calmaria acabou quando em questão de segundo sentiu a pele de sua bochecha arder com o tapa estralado desferido alí, sua cabeça caindo para o lado pelo o impacto. Harry não estava esperando por aquilo, não estava acostumado com aquilo, sua reação foi devolver o tapa lhe dado.
Louis, ao sentir a mão ossuda de Harry acertar sua bochecha em um tapa, se sentiu enfurecido e avançou no corpo miúdo, enforcando-a.
— Você tá maluca, porra? Se eu te bater, você agradece e não devolve. Pelo visto terei de ensinar a pequena á como ser uma boa garota, não é? — Harry não responde, apenas continuado seu choro silencioso enquanto buscava pelo ar privado pelo aperto de Louis.
— Posso ser mais bonzinho com você se prometer me chupar bem gostoso como a putinha que você é — Louis propõe e Harry balança sua cabeça rápido demais, parecendo um cachorrinho desesperado. O menor queria tanto ver o pau de Louis de novo, ele parecia delicioso quando flagrou Louis se tocando, estava desejando-o desde então.
Louis ajustou o banco do carona pra trás e fez Harry se ajoelhar no espaço do chão, se sentou no banco com as pernas separadas e abriu o zíper de sua calça, puxando seu pau para fora, o qual já se encontrava totalmente duro e passou a masturba-lo de forma lenta. Harry observava atentamente, se sentindo realizada apenas de poder ver o cacete bonito de Louis tão de perto mas ainda querendo poder senti-lo em sua boca.
Harry soltava barulhinhos chorosos, fazendo sua melhor cara de 'pidona'.
— Por favor — Fala de forma arrastada e manhosa e assim recebe o que quer. Sem aviso prévio, Louis força a cabeça de Harry a ir de encontro ao seu pau, estocando-o fundo de uma vez e fazendo a jovem engasgar e levantar a cabeça em reflexo para poder se recuperar.
— Oh, estava chorando no meu pau igual uma cadela, achei que iria aguentar tudinho como prometido — Louis fala desdenhoso, contrariando sua mão indo de encontro ao seu cabelo e deixando um cafuné nos cachos macios, em um ato de carinho.
Depois de dar um tempinho para que o mais novo se recuperasse, Louis forçou sua cabeça novamente mas agora não tão rude, deixando-o se acostumar. Harry aproveitou a aliviada no aperto e deu umas lambidinhas e chupadas na cabeça do cacete, sentindo o líquido de pré-gozo em sua boca, salgado e azedo, Harry amava. Sugou a glande intercalando com lambidas, babando-a bastante e então se afastou com um 'ploct', para poder levar sua mão alí e apertar para observar o líquido esbranquiçado vazando para então espalha-lo pelo falo, deixando o cacete bem molhadinho.
— Porra! Para de brincar, sua piranha. Vem aqui, deixa essa tua boca bem aberta pra mim usar! — Louis fala puxando-a pela mandíbula e depois segurando seu cabelo em um rabo de cavalo sem jeito. Harry fez o que seu senhor havia mandado, abrindo sua boca e pondo suas mãos para trás das costas, o que Louis achou adorável, para receber o pau grossinho arranhando sua garganta.
Louis estocou na cavidade molhada, forçando-a a abrir para acomodar a piroca, Harry sentia sua mandíbula arder. Louis começou a movimentar seu quadril enquanto empurrava a cabeça de Harry, esse que se esforçava ao máximo para aguentar tudo, o que se tornava uma tarefa difícil quando sentia a cabeça da rola encostando em sua goela, mas ainda tentava continuar com as sucções que formavam vincos em sua bochecha e se concentrar em respirar pelo nariz e evitar engasgos.
— Oh... Isso, boa garota, tão boa pra mim. Aguenta tudo tão bem — Louis se perdia no prazer, sentindo as vibrações dos gemidos e lamúrias de Harry afetando diretamente seu pau que se encontrava fundo na garganta do menor.
As estocadas ganharam ritmo, fundas e fortes, Harry se encontrava uma bagunça de baba, lágrimas e pré-gozo, seu rosto molhado e vermelho, mas não podia estar melhor, se sentia nas nuvens e Louis podia vê-la sorrindo com os olhos toda vez que era mais bruto puxando seu cabelo ou quando alcançava sua garganta.
Louis estava prestes a gozar e estava louco para encher a boquinha gostosa com sua porra mas não mais que Harry, nunca mais que ele. A lembrança de Louis se tocando no carro que invadia sua mente a todo momento e Harry acha que iria para o resto de sua vida, lhe despertava ainda mais a vontade de sentir Louis esporrando em sua garganta enquanto engole tudo como uma boa cadela, sua xota pulsava pelo leitinho de seu senhor.
— Goza na minha boca senhor! — Harry se afastou rapidamente quando percebeu que Louis estava perto de seu ápice, logo envolvendo a rola com sua boca novamente e recebendo a porra quentinha de Louis, sentindo os jatos descendo por sua garganta e o gosto marcante que Harry vinha desejando tanto, se sentia finamente satisfeita, ou quase.
Louis empurrou a cabeça de Harry para traz quando sentiu sua língua voltar a trabalhar na glande sensível tornando aquilo não mais prazeroso e sim doloroso, com um som molhado ao afasta-la da sua pica que ficou ligada por um fio de baba. Harry sorria com os olhos quase fechadinhos, realizada de ter chupado aquele cacete delicioso.
— Você foi ótima, princesa. Vejo que está feliz de ter a gargantinha fodida, hm? Você engoliu tudo direitinho? Me deixe ver. — Louis pediu invadindo a boca de Harry com seua dedos e pinçando sua língua para fora, forçando-a abrir a boca e checar se havia engolido sua porra.
— Agora me deixe judiar da sua boceta, sei o quanto quer isso, não é mesmo? — Harry sobe no banco novamente, sentindo seus joelhos doloridos pelo longo tempo na posição. Apoia suas costas na porta e flexiona suas pernas, expondo sua bocetinha da melhor forma que pode. Já não se importava mais com suas bochechas coradas ardendo de vergonha, agora seu tesão falava mais alto que qualquer coisa.
— Me toque...me toque senhor, em qualquer lugar, eu sou sua — Harry fala levando sua mão a própria bocetinha mas sendo impedida com um tapa certeiro na área sensível.
— Tão apressadinha, seja paciente, minha princesa, acha que eu não sei que está louca pra se tocar enquanto pensa em como meu pau vai esfolar essa bocetinha? O que te faz pensar que é boa suficiente pra se tocar pensando em mim?–‐ Harry geme alto pelo tapa e pela forma que Louis fazia questão de humilha-la e como se molhava tanto só o ouvindo falar de tal maneira depravada, se sentia tão suja e pequena perto de Louis. Ele, além de mais velho, era tão forte e maior do que Harry, o mais novo gostaria de ser seu brinquedinho pra ele usar e abusar.
— Des-... aaah! d-desculpa, senhor! — Harry fala sendo interrompida por mais um tapa certeiro em sua vulva, que a fez soltar um gritinho no meio da sentença. Suas pernas se fecham em reflexo, para tentar se proteger dos tapas de Louis, mas o mais velho é rápido o suficiente para abri-las novamente e desferir um tapa em uma das coxas, seguido de outro na xotinha.
— Abre a porra das pernas, Harry! Se você tentar fecha-las novamente eu vou te machucar mais ainda — Louis fala ríspido, guiando Harry para que segure as próprias pernas abertas próximas ao corpo, dando uma visão deliciosa da bocetinha úmida e rosa de Harry.
Louis se inclina, tendo seu rosto bem próximo da parte íntima do mais novo, levou seu indicador alí e passeou seu dedo pelos lábios maiores quase como quem fazia um carinho, sentindo Harry estremecer com o toque, depois passou o dedo pela repartição esbarrando no glerinho duro e podendo sentir o quanto estava molhada.
Levou o dedo a boca, chupando-o e aproveitando o gosto enquanto encarava a Harry, que tinha seus olhos brilhando em luxúria ao ver o maior alí inclinando praticamente em posição de reverência entre as pernas de Harry, provando o gostinho de sua lubrificação como se fosse a melhor coisa que já tivesse provado, Hary se sentia adorado, no sentido forte da palavra.
Logo levou seu rosto ainda mais perto, dessa vez passando o nariz alí, arrastando-o primeiro pelas coxas, depois descendo até a virilha até chegar aonde realmente importava, inalando o cheirinho da boceta de Harry, Louis estava viciado. Arrastou seu nariz alí por um tempo, apenas provocando o mais novo.
Harry estava prestes a chorar pela judiação que Louis fazia, provocando-a tanto enquanto estava toda molhada e pulsante, sentia sua xota quente e implorando para alguma estimulação, implorando para gozar e o que Louis fazia não era o suficiente, precisava de mais.
— Por favor Lou-Senhor, por favor — Harry implorava sem ter certeza pelo o que ansiava, querendo qualquer tipo de contato maior. Louis vendo o estado deplorável de Harry, literalmente chorando para que o tocasse, Louis enfiou dois dedos fundo na boceta, fazendo Harry soltar um gemido escandaloso, repetindo uma série de "obrigada".
Louis continou estocando os dedos, forte e fundo, observando-os sairem e voltarem para dentro da grutinha de Harry, que o apertava de forma deliciosa e o maior podia sentir perfeitamente as paredes internas de seu canal quente e molhado envolta dos dois dedos. Harry gemia em deleito, tentando guardar em sua memória cada segundo daquele momento e a sensação maravilhosa, não queria que acabasse nunca.
Sem parar de meter, Louis alcançou o grelinho e passou a estimular alí, beijando e sugando, levando Harry a insanidade total, ao que esse gemia desperadinha enquanto beliscava seus próprios mamilos. O estopim de Harry foi quando Louis dobrou seus dedos dentro de Harry, acertando perfeitamente o pontinho do mais novo, enquanto ainda tinha sua boca no grelinho, fazendo-o alcançar o orgasmo e esguichar nos dedos e rosto de Louis, uma bagunça molhada e deliciosa. O mais velho observou aquela cena admirado, era lindo ver Harry esguichando de tal forma, quase como uma estrela pornô.
— Uh princesa, você é nojenta, uma vadiazinha suja e nojenta, olhe a bagunça que fez! Esguichando bem em minha cara, o que estava pensando? — Louis cuspia insultos que contradiziam com sua expressão, já que em seu rosto um sorriso estava estampado, enquanto ele não podia tirar os olhos da bucetinha encharcada bem em sua frente. A fala junto ao rosto irônico faziam Harry confusa, não tendo certeza se o que o mais velho falava era realmente o que achava e tudo isso passando pela cabeça do mais novo junto ao misto de emoções e sensações e o recente orgasmo magnífico que tivera, a única reação de Harry for pôr-se a chorar.
Louis ficaria louco, Harry o deixaria louco. A atitude do mais novo de simplesmente começar a chorar após ter acabado de gozar da maneira mais depravada e pornográfica, havia mechido muito com a sanidade de Louis. Como conseguia ser tão casto e lascivo ao mesmo tempo?
Talvez o sentimento de prazer e tesão que crescia em Louis ao admirar o choro de Harry pudesse ser de certa forma doente, mas Louis enchergava beleza na situação, para ele aquilo era os sentimentos e sexo mistos em uma forma pura e real, crua. Assim, foi se aproximando do rosto contorcido em expressão chorosa de Harry, passando seus lábios pela bochecha macia e salgada pelas lágrimas, dando beijos sinceros em seus olhos avermelhados com cílios molhados, depois desceu seus lábios direto em encontro aos de Harry, iniciando um beijo quente entre os dois.
Harry foi quem pediu entrada para língua, aprofundando o beijo e sentindo o exato momento em que suas línguas se encontraram e pode sentir como se fossem feitas para aquele momento, o beijo simplesmente encaixava perfeitamente. Harry chupava a língua de Louis, e esse dava algumas mordidas nos lábios do menor, os dois gemiam entre os lábios. Harry podia sentir seu próprio gosto na boca de Louis, tornando tudo ainda mais quente.
Ligeiramente, Louis levou sua mão até o pescoço de Harry, o apertando com força suficiente e afastando-o do beijo para que pudesse falar.
— Vou te comer de quatro — Foi as únicas palavras que falou antes de mudar completamente a posição de Harry, o movimentando como se fosse uma bonequinha, o pondo de quatro no banco com seu rosto virado em direção a janela e sua bunda para o motorista, onde Louis estava.
Levou sua mão ao próprio pau, tirando-o da cueca e punhetando apenas para espalhar o próprio pré-porra pelo falo, esticou o mesmo braço até próximo ao rosto de Harry. — Cospe! — Harry cuspiu na mão do mais velho, que espalhou a saliva no cacete, preparando-o para meter no mais novo. Harry rebolava discretamente, ou pelo menos tentando, ansiando pelo pau de Louis machucando sua grutinha, e foi o que recebeu. Louis estocou a piroca para dentro de Harry sem aviso algum, indo fundo já na primeira estocada e não dando tempo para acustumar, tirando até a cabeça e estocando fundo novamemte, repetindo esse processo algumas vezes.
Harry gemia de forma escandalosa, apoiando uma de suas mãos no vidro da janela do carro, seu corpo sendo alavancado pra frente a cada vez que Louis metia. A sensação era deliciosa, podia sentir perfeitamente Louis o alargando com seu pau, doía um pouco por conta da forma dura que ele se movimentava mas era isso que tornava tudo ainda mais gostoso, a forma que apertava sua cintura e sua bunda, afundando suas unhas na pele leitosa e deixando marcas, as vezes deferindo um tapa ou outro, sem parar nem um segundo de estocar na xota quente.
Louis também gemia rouco e xingava quando sentia Harry apertando seu pau, se contraindo. Metia forte no menor, sentia suas bolas batendo contra as coxas macias, fazendo um barulho que preenchia o carro que cheirava a sexo. Estocou mais algumas vezes e esporrou tudinho dentro de Harry que sentia seu corpo entrando em combustão ao sentir a sensação quente ao gozar forte pela segunda vez. Louis manteu seu pau fundo em Harry, enquanto acariciava sua nuca suada, até o menor regular a respiração novamente.
Ao se afastar levou suas duas mãos grandes uma em cada lado da bunda de Harry, afastando para poder observar sua porra branquinha toda dentro de seu brinquedinho, era quase como arte. Deu um tapa forte na bunda gostosa antes de puxar Harry pelos cabelos, tendo-o de joelhos com seu corpo bem próximo a janela, seus peitos quase encostando no vidro gelado, mas suas costas nuas estavam coladas ao peito, ainda vestido, de Louis. O maior apoiou seu queixo no ombro de Harry, seu nariz encostado próximo a seu maxilar e escorregou a mão pelo lado do corpo curvilíneo, sentindo a pele se arrepiar em seus dedos, foi em direção ao pescoço apertando-o levemente e depois descendo novamente até os peitos perfeitinhos. Harry suspirou audível.
— Você deveria se envergonhar, princesa... qualquer um pode passar por aqui e te ver assim tão vulnerável a mim enquanto me aproveito de seus peitinhos. — Louis fala baixo e rouco, seus lábios colados a orelha do menor, enquanto massageia de maneira quase desesperada seus peitinhos, amassando-os em sua mão e puxando os mamilos, sentindo-os ficarem durinhos entre seus dedos. Desferiu um tapa sobre cada um deles, fazendo um gemido choroso de Harry escapar.
— Dói! — Harry grita tentando levar suas próprias mãos aos seios para cobri-los e impedir que Louis ou qualquer outro os vejam. Louis agarra as mãos e as segura a frente do corpo de Harry.
— Mas você gosta não é, cadela? Gosta de levar tapa nesses peitos quase o tanto que reza para que alguém passe e te veje sendo a putinha desprezível que você é, hum? — Louis cospe na mão que não estava segurando os pulsos de Harry e espalha a saliva pelo rosto e peitos do mais novo.
Louis após abusar mais um pouco dos peitinhos de Harry, o pôs de quatro novamente, dessa vez com planos de comer seu cuzinho.
Harry tinha sua bunda bem empinada para Louis, que podia ver seu buraquinho pulsante perfeitamente, e assim não pode resistir á não ser toca-lo. Levou seu dedo indicador alí, circulando o local e sentindo a textura. Harry se contraiu imediatamente, não podia negar que estava assustada até porquê nunca tinha sido comida por trás antes, seria sua primeira vez e Harry se sentia assustado com si mesma por não estar realmente ligando que seja Louis, um homem estranho para ela e ainda tão mais velho, que tire a virgindade de seu cuzinho e a trate como um nada, na verdade estava louca para aquilo, estava louca para que Louis arrombasse seu buraquinho sem pena até que ela chore.
— Você é tão bonita aqui, princesa. Nem parece o cuzinho de uma puta, tão delicado e apertado. Me conte, você já deu essa bunda para mais alguém? — Louis fala enquanto força apenas a pontinha de seu indicador e tira, brincando com a sanidade de Harry, que sentia o incômodo alí apenas por isso. Harry olhou para Louis pelo ombro, vendo o rosto tão sério e lindo do maior e exitando um pouco antes de negar com a cabeça, um biquinho nos lábios combinando com o olhar tão inocente. Louis abriu um sorriso em escárnio, não podia acreditar que Harry o deixaria ser o primeiro a comer seu cuzinho, se sentia honrado. Puxou os cabelos de Harry, fazendo-o se arquear mais um pouco para que pudesse alcançar seus lábios, deixando um beijo alí. — Obrigado por me deixar ser o primeiro, minha princesa — Harry sorriu bobo.
Continuou massageando o local e forçando seu dedo para dentro, preparando-o para seu pau. Harry era tão apertado que levou um tempo para que conseguisse colocar mais um dedo. O menor chorava em antecedência e era quase doente a forma que aquilo apenas deixava o pau de Louis ainda mais duro, ele iria amar acabar com Harry e faze-lo ter um motivo de verdade para chorar, observer seu pau sumindo entro do cuzinho virgem, vê-la tentar correr e perceber, desesperada, que teria que aguentar o cacete alargando-a ao máximo. Após um tempo estocando dois de seus dedos dentro do menor e começar senti-lo um pouco mais relaxado, começou a pincelar sua entradinha e simular investidas sem realmente entrar.
Finalmente, enquanto segurava a cinturinha de Harry, começou a enfiar apenas a cabeça gorda do pênis e o menor quase implorou para que parasse. Sentia uma sensação estranha de pressão e ardência, seu canal sendo envadido e alargado. Lágrimas gordas desciam por sua bochecha.
— Senhor eu não vou aguentar, está doendo — Falou com a voz entrecortada e chorosa, se esforçando ao máximo para não se contrair e expulsar o pau. Se sentia triste pelo pensamento de que talvez não aguenteria o pau metendo em seu cuzinho, mas se só com a cabecinha já sentia suas pernas moles e o corpo contorcido, imagina o falo inteiro dentro de si.
— Oh não, princesa, não pense em desistir agora. Eu vou ficar parado para que se acostume, tudo bem? Está tão bom, não ligo se você me esmagar, apenas não desista. — E assim fez, se manteve parado, apenas com a cabeça dentro de Harry, e de alguma forma alcançou seu grelinho e passou a massagea-lo na tentativa de relaxar o menor, também passava a ponta dos dedos pelas costas bonitas.
— Senhor, pode meter mais...uhh! — Harry falou em um suspiro ao que sem nem que terminasse sua frase, o maior já estava forçando mais de seu comprimento para dentro e a sensação ruim havia voltado.
— Oh Louis! Você é tão grande, está me arrombando todinha! Ahh! — Harry gemia, tentando se mover para escapar. Louis pôs sua mão em cima da cabeça dela, forçando-a contra o vidro para que parasse te tentar fugir. — Fique paradinha e seja uma boa puta para seu senhor, agora vou comer essa sua bundinha gostosa sem pena. — Tomlinson ditou e passou a se movimentar lentamente, sentindo seu falo saindo e entrando de dentro do canal quente.
Harry começava a se acostumar com a invasão, se concentrando apenas na sensação prazerosa e como aquilo estava se tornando gostoso. Agora gemia audível, revirando os olhos a cada investida e babando na mão pesada de Louis que ainda insistia em força-la na janela, mas Harry não se incomodava, na verdade amava esses atos rudes de posse.
Louis tinha uma mão em seu rosto e outra segurando forte sua cintura, a fazendo ir de encontro junto a suas estocadas. Grunhia rouco enquanto apertava a cintura fina, marcando-a, e fodendo seu cuzinho como um animal, metendo com força e pressa, tratando-a simplesmente como um verdadeiro buraco, usando-a para chegar a seu orgasmo e poder enche-la logo com sua porra, apenas para depois observar vazando e descendo por suas coxas.
— Aaahhm... tá tão bom, tão gostoso...hmm i-isso...as-assim!— Harry gemia alto e escandalosa, recebendo tudo que Louis podia lhe dar e sentindo sua rola quase em sua barriga, tinha a sensação que podia sentir o comprimento marcado em seu baixo-ventre, era demais para aguentar, iria gozar à qualquer momento.
Louis estava na mesma situação, prestes a gozar e assim, apenas com mais algumas investidas no cuzinho apertado, ele esporrou dentro, preenchendo o interior de Harry por inteiro, que também chegou a seu orgasmo ao sentir a porra quentinha. Os dois gemiam entre suspiros, ainda na mesma posição, Louis não tinha se afastado e Harry gostava do jeito que estava, o pau dentro de si a dava um certo comforto, como uma certeza de que Louis não tinha realmente apenas a usado como um despejo de porra e que agora, mesmo que tenham se passado algumas horas, ele ainda a levaria pra casa.
Louis se afastou lentamente, observando seu pau sair do buraquinho junto com a porra branca vazando e escorrendo pela bocetinha. Deu um beijo alí, sem se importar com a sujeira, depois dois beijos na bunda, um de cada lado, subiu pelas costas também deixando beijos, até chegar a nuca e enfim os lábios de Harry, que estava com uma expressão acabada. Louis não se importava se um beijo terno agora fose parecer íntimo demais, sabia que era o que Harry precisava e que estava exausto e com certo receio, mas o mais velho nunca seria capaz de abandona-lo agora, estava de certo modo apaixonado por Harry, não poderia negar que era uma pessoa apaixonante.
Os dois ficaram de carícias como se realmente fossem um casal, deitados pelados no banco de couro da caminhonete velha, nenhum dos dois se importavam com mais nada, apenas queriam aproveitar o momento, então Harry se inclinou e ligou novamente o rádio. E assim Louis acabou por adormecer nos braços de Harry, enquanto She'll Make You Cry tocava.
512 notes · View notes
loushome28 · 5 months ago
Text
Tumblr media
Wha a great qUeStIon...
1K notes · View notes
lebesyej · 27 days ago
Text
the Queen and his short king
Tumblr media Tumblr media
415 notes · View notes
houiswhore · 27 days ago
Text
“todo mundo sabe que leite quente é a melhor coisa pra fazer alguém dormir, e essa é a solução pra insônia de Louis, o leite quentinho dos peitos deliciosos da namorada”
harry inter (com boceta)
lactation/breasting
versão lbottom já postada
Tumblr media
Louis sempre teve problemas pra dormir, ele costuma pensar de mais sobre coisas que não aconteceram e isso sempre o tira o sono
antes ele costumava fumar alguma coisa pra relaxar mas dês de que Harry teve seu bebê ele decidiu parar com isso
ela não gostava que ele fumasse e ele amava muito ela pra fazer qualquer coisa que sua garota não quisesse
e geralmente dormir agarradinho com a namorada resolvia seu problema e ele conseguia dormir um tempo, mas tinha dias que ele tinha tanta coisa na cabeça que ele simplesmente não conseguia
ele estava sentado na cama jogando subway surfes tentando ficar cansado o suficiente pra apagar
– Lou?– a voz baixinha se fez presente e o garoto olhou pra namorada que coçava os olhos– não consegue dormir de novo?– falou e ele encolheu os ombros
– só não estou cansado, você deveria dormir, está cansada– falou fazendo carinho no rostinho da garota que revirou os olhos se sentando
– não começa, você também tá cansado só está preocupado– falou e o garoto encolheu os ombros
– temos um filho agora, não posso me dar o luxo de não ficar preocupado– falou e Harry fez um biquinho
– eu sei que temos um filho ele saiu da minha boceta– falou e louis riu baixinho– mas você precisa dormir amor, amanhã você tem aula e também tem que trabalhar e não vai conseguir fazer nenhum dos dois se não dormir– falou e o garoto franziu o nariz pra como sua garota era fofa
harry e ele se conheciam dês de sempre, suas mães eram melhores amigas na faculdade e então eles são melhores amigos dês de criança
com 13 eles deram o primeiro beijo e com 15 eles tiveram a primeira vez pouco antes de começarem a namorar, o que hoje já são 8 anos de relacionamento
eles moram juntos dês de que foram pra faculdade e em um deslize com o anticoncepcional a garota ficou grávida e eles tiveram o pequeno Tyler
louis vem dormindo menos dês de então, ele está sempre preocupado, quer dar o melhor pra seu filho e pra sua mulher
– lou, você precisa relaxar– harry falou se sentando no colo do maior e deixando beijos e mordidinhas no maxilar do outro
– eu sei, só não consigo dormir– falou respirando fundo o cheiro gostoso de morango do cabelo da garota
– você... hm... você quer fazer aquilo de novo?– falou com as bochechas coradas e louis a olhou confuso até finalmente entender e abrir a boca surpreso
ele não achou que aquele assunto ia ser tratado, já fazia um tempo e a namorada não falou sobre, ele achou que iam fingir que não aconteceu
– você diz... aquilo?— falou e harry desviou o olhar assentindo
– yeah... só estou dizendo que se você quiser mamar até cair no sono, não é um problema pra mim– falou baixinho torcendo os dedos no colo– eu até meio que gosto– falou baixinho e louis piscou surpreso
não seria a primeira vez que isso acontecia e ele tomava o leite de harry com uma certa frequência mas era na maioria das vezes em um contexto sexual, a única vez que eles fizeram sem ser em um contexto sexual foi uma vez que louis estava praticamente sem dormir a uma semana e harry falou que ele deveria tomar um pouco de leite e Louis aceitou instantâneamente deitando contra a menina que estava falando sobre um copo de leite mas vendo seu namorado com os olhinhos brilhando e a boquinha ansiosa perto do seu peito não negou um pouco e foi delicioso
– você não precisa fazer isso só porque eu não consigo dormir, eu posso tomar um remédio– falou e harry encolheu os ombros
– você não quer?– falou envergonhado por ter sugerido
– porra, claro, eu quero pra caralho, mas o que eu tô dizendo é que você não precisa– falou e harry assentiu saindo do colo do namorado e se sentando contra a cabeceira
– vem aqui amor– foi só o que ela falou tirando a camiseta e deixando os seios redondinhos a mostra
– tem certeza?– falou receoso e a garota sorriu juntando o cabelo em um rabo de cavalo
– vem gatinho– falou e o garoto suspirou alegre deitando no colo da namorada como um neném– meu gatinho manhoso, você é tão bom pra mim lou– falou fazendo um carinho no rosto do namorado que fechou os olhos
a garota suspirou ansiosa pegando o próprio peito e levando o mamilo marronzinho até a boca cheinha
– pode mamar amor– falou esfregando o mamilo contra os lábios do namorado que abriu os olhos fixando os olhares antes de abrir a boca e capturar o mamilo ali– shiii... sem pressa amor, calma– falou fazendo carinho na nuca do namorado e gemendo baixinho– isso é tão gostoso gatinho– falou e o mais alto sorriu ainda sugando o leite
sentir o leite da garota na sua boca era uma experiência de outro mundo, era simplesmente delicioso sentir o líquido quentinho na sua língua, capturar cada gotinha e sorver o sabor do leitinho da sua mulher
o garoto sorriu ladino levando o dedo até a bucetinha da namorada esfregando no clitóris da garota e vendo ela fechar os olhos enquanto gemia
– porra gatinho, que delícia– gemeu apertando o rosto do namorado contra o seu peito
harry desceu o dedo até a fendinha da garota enfiando o dedo médio e Louis revirou os olhos mordendo os lábios
o mais velho tirou o dedo afastando a boca do peitinho da namorada que choramingou abrindo os olhos a tempo de ver o garoto passando seu melzinho contra o mamilo usado
– mais gostoso assim– falou lambendo o dedo e depois voltando a chupar o peitinho que agora tinha o gosto do tesão da garota
– descansa, você precisa dormir– harry falou com a voz baixinha fazendo carinho nos fios castanhos do namorado
harry começou a cantarolar enquanto fazia carinho no namorado que se agarrava a cintura da garota
– você é tão bom pra gente lou, você precisa relaxar, você é um bom pai e um bom namorado, mas não está sendo bom pra você mesmo, você se cobra tanto amor– falou fazendo carinho entre os olhos do garoto que estava quase dormindo enquanto sorvia o leite– tão faminto amor– falou passando o dedo contra os lábios do namorado que abriu os olhos sonolentos apenas pra dar um olhar duro pra garota– não vou tirar de você, só quero que você vá pro outro, esse está vazio e o outro está tão pesado– falou e o garoto bufou soltando o mamilo e indo um pouco pro lado pegando o outro entre os lábios
o garoto fechou os olhos sentindo o leite quentinho na sua boca e o carinho nos seus cabelos e no seu rosto alem da voz doce da sua garota cantando baixinho
– meu doce menino, tão forte pros outros e um gatinho tão manhoso pra mim– falou baixinho beijando a testa do namorado que já dormia ainda sorvendo o leite em seus sonhos
louis dormiu bem pela primeira vez em meses e apesar da bucetinha ardendo em tesão harry também dormiu bem sabendo que o namorado estava finalmente descansando
452 notes · View notes
lapollypocket-detianguis · 7 months ago
Text
Tumblr media
It’s a solo song 🌈
Okay! New post, obviously inspired by the rainbows from otb and the reference is by the incredibly talented nikkimariejpg on Twitter and Instagram
Hope you like it!! 🤍🤍
1K notes · View notes
gypsylwt28 · 3 months ago
Text
Louis fonding so damn UNBELIEVABLY hard as Harry ties liams shoes after HE undid them
Tumblr media
Like he didn’t have to fond THAT hard but he did
He drops the mic and has this look of sweetness and love in his face and it shouldn’t be that big of a deal because harry is only tying liams shoes yet louis still finds it the most loveliest thing ever and its like he was thinking in that moment “holy fuck im so in love with you and how cute you are” :>
Bonus photo:
Tumblr media
i love our larents💌
566 notes · View notes
haroldandlou28 · 8 months ago
Text
Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media
Tumblr media
2K notes · View notes
stylexcherryy · 2 months ago
Text
тσυcнiиg мє likє i’м yσυяร ✶
Tumblr media
-Conteúdo homosexual
-Harry intersex/ Harry com bocetinha
- Hbottom! Ltops!
- Cock Warming: o ato de manter o membro do parceiro 'aquecido'
- Degradation kink (leve)
- Exibicionismo
-Squirt
-Dirty Talk
✶ Onde Harry está a procura de um estágio, e Louis recebe uma ligação estranha
As vagas estavam abertas.
Quando as nuvens cinzentas preenchiam o céu da pacata vila, com pouco movimento, e famosos casos de cidades pequenas que eram tão misteriosos como filmes adolescentes clichês movimentam a delegacia pequena.
Era um pouco estranho, entretanto. Desde que um emprego como aquele não era difícil de arranjar, quando se tinha conhecimento básico em montar planilhas e arquivos. Era estranho que a vaga estivesse em aberto por tanto tempo assim, e que os candidatos fossem demitidos a todo momento.
Junto aos delegados. Engravatados e engomadinhos nas blusas sociais, e alguns, nos coletes à prova de bala, brilhando seu distintivo dourado. E as mesas de escritório bagunçadas, menos a de Tomlinson. Que se encontrava impecável.
Tomlinson. Tomlinson. Tomlinson.
Esbanjando testosterona e masculinidade. Os bíceps grandes sempre marcados e os dedos e mãos cheios de veias coloridas. Os olhos eram tão azuis que brilhavam, com as ruguinhas lindas em baixo deles.
A rotina também não costumava ser menos monótona, parte dos homens gastavam sua energia em missões, e carregavam uma pistola na calça. Enquanto outros, passavam esse tempo atendendo ligações e arrumando o resto dos casos.
Holmes chapel era uma vila pequena. Era comandada por delegados, por sua vez, fazendo todo o trabalho árduo.
Da mesma forma que não se importavam tanto assim para códigos e condutas, a delegacia não era um lugar rígido entre os garotos que trabalhavam. Na ponta dos dedos de Tomlinson, um cigarro de maconha fazia contraste com sua postura rígida e a carranca sexy nos olhos pequenos. Enquanto um pequeno livro com leis estava posicionada no canto da mesa de escritório, proibindo o uso de 'Cannabis'.
Aquela vaga não era me estranha. Não exigia requisitos ou coisas difíceis para consegui-la.
Não demorou pouco mais de alguns minutos após Styles encontrar a placa com o número estampado em letras azuis, para discar.
"Quem fala?".
"Mhm. Estou pra' perguntar como consigo a entrevista para a v-vaga". Tremelicou as pálpebras, um pouco incerto e vacilante no tom. Era sua primeira vez tentando algum emprego, não estava confiante como devia ser.
"Oh certo. Sou Delegado Louis Tomlinson, preciso do seu nome completo". Girou a caneta com tinta azul nos dedos longos, tamborilando em uma folha de bloco.
"Harry Edward Styles". Proferiu pela primeira vez com convicção.
"É de Holmes Chapel?". O tom de voz rouca e sexy de Tomlinson parecia entediada.
"S-sim".
"Tem disponibilidade para trabalhar? Suponho que sim já que ligou procurando pela vaga". Soltou uma risada nasalada, que Harry não acompanhou do outro lado da linha, de qualquer forma.
"Tenho, senhor".
"Sabe trabalhar com arquivos e planilhas?". Um murmuro concordando como resposta.
"Apareça aqui amanhã pela manhã. Contratado". Harry torceu a sobrancelhas pela resposta.
"O que? Não!! Não pode ser assim. Você não me perguntou a minha idade, ou me chamou pra uma entrevista de emprego".
Louis riu amargo esticando as pernas e batendo a sola do sapato no chão da delegacia, com um sorriso idiota nos lábios. Com pouca paciência.
"Certo... Harry. Você prefere mesmo ser chamado para uma entrevista de emprego? Sabe que não passaria da primeira fase, não é? Gaguejou falando comigo pela chamada e eu não duvido que faria pior pessoalmente. Para conseguir o estágio deve ter no mínimo dezesseis anos, e eu não me importo realmente se você for menor de idade, moleque. Essa vaga de estágio não é concorrida e os funcionários são mandados em bora com frequência. Se quiser trabalhar. Apareça amanhã".
Certo. Talvez devia ter começado a desconfiar um pouquinho de toda situação a partir de aquele momento. Quando Tomlinson disse que não precisava de mais nenhuma exigência para ser contratado para o estágio. Nenhuma outra. Entende se certa forma que trabalhar em uma delegacia pode ser um pouco arriscado e corrido pela rotina, não duvidaria se os ex-estagiários estivessem se demitindo propriamente. Não duvida que apenas passará o seu tempo ao lado de um dos delegados, com as pontas dos dedinhos cheias de calos e roxas de tanto digitalizar e organizar as pastas de casos.
Segundo. Segundo ponto que deveria ter começado a estranhar. Quando parte daquela delegados revezavam os turnos para saírem em missões, e os outros se sentavam confortavelmente em frente a um computador grande com um grande copo de café preto na frente, organizando tais arquivos. Talvez fossem apenas muitas coisas para lidarem ao mesmo tempo, talvez fossem muitos arquivos e casos diferentes, questões administrativas e gestão para darem conta por si só. Um garoto pouco experiente como estagiário talvez não fosse a melhor das opções.
No dia seguinte pela manhã fria, Harry se aprontou em tomar um banho breve e se trocar, não tinha certeza do que deveria usar. Abotoou o sutiã rendado, usando uma camiseta de botões social preta, com o tecido tão fininho e vagabundo, junto a saia plissada, que estava um pouco a cima de três palmos da coxa, mas não tinha roupa mais comportadas. Gostava daquelas de qualquer forma, assim como amava chamar atenção de todos em sua volta, aquela seria uma chegada extravagante. Não se esquecendo do hidratante e então as suas presilhas de flores para segurar os cachos da sua franja, para que o vento forte não atrapalhasse a garota.
Respirando fundo uma, duas, três vezes ela entrou pela porta velha da delegacia, com uma xicara de café na ponta dos dedos e a cabeça um pouco baixa pela quantidade de homens que a olhavam com um sorriso malicioso. Observou as plaquinhas na frente das mesas, até achar alguma nomeada Tomlison, e andar timidamente na sua direção.
Os olhos de Tomlinson levantaram na direção dele, no início se contorcendo em uma careta confusa, descendo até os seios marcados e as coxas grossas apertadas naquela saia pequena e de tecido horrivel, também.
"Harry Styles". Esticou a mão.
"Achei que fosse um garoto Harry. Por que tem seios?". Não apertou sua mão. Apenas arrastando a cadeira para longe da mesa.
"Isso importa d-de verdade, s-senhor?". Tentou ser bravinha, mas o olhar que o delegado a lançava era intimidante.
"Não realmente". Abriu um sorriso de lado cafajeste, expondo os dentes alinhadinhos e os lábios finos que humedeceu. Harry soltou um suspiro, finalmente notando o quão lindo ele era.
"Eu vou trabalhar com você?". Louis acenou em concordância, um pouquinho menos entediado que antes com a vista da garota bonita que tinha na sua frente. Ou garoto. Isso realmente importa? Notando os lábios vermelhos e inchadinhos, as bochechas vermelhas e provavelmente geladas pelo vento cortante, e as presilhas que tinham na sua franja.
Tinha se perdido totalmente nela, voltando os olhos para os seios, contornando os biquinhos com eles e se imaginando se queimasse a pontinha com o cigarro de maconha, pareciam tão pontudinhos. E  então as coxas grossas, com as pequenas estrias no meio delas, e tão apertadas no tecido que parecia dar indicio de estourarem.
"Onde posso me sentar, senhor?". Harry se sentia um pouquinho perdido procurando uma outra cadeira, e com toda sua situação. Desde que Louis estava a um tempinho olhando de maneira maliciosa para todo seu corpo e ela trocava olhares, imaginando sua barba ralinha arranhando o meio das suas coxas e a buceta todinha.
"Acha mesmo que tem outra cadeira pra você?". Tombou a cabeça para o lado. "Aqui está onde você vai se sentar". Bateu na coxa musculosa por cima da calça social, com a postura relaxada. Styles por um momento se aterrorizou que a sua renda fosse ficar exposta por se sentar na coxa dele, mas se acalmou em seguida, desde que queria tanto aquilo e faria tudinho pra ter a sua bucetinha esfregando nela toda.
Talvez aquele fosse o momento em que ela pensaria duas vezes se realmente queria aquela vaga, tinham tantas outras na pequena vila e não sabe se realmente se sujeitaria a aquilo. Mas quando focou os olhos brilhantes no sorriso sacana do delegado, esqueceu tudo novamente, mordiscando o lábio inferior fraquinho quando os pensamentos pecaminosos passavam pela sua mente.
Sentou com as pernas abertas em cima de sua coxa, sentindo um volume proeminente em baixo do seu bumbum, mas ignorando totalmente assim que sentiu a mão aberta de Tomlinson acariciando as suas costas, e a seguir empurrando sua coluna para frente de um jeito brusco. "Começa". Jogou alguns papéis na direção do cacheado, arrancando outro suspiro por todo jeito brusco que estava sendo tratado. Em outra situação ele se enfureceria, mas se tratava de Tomlinson.
Começou por um dos papéis que continha a letra garranchuda, digitando rápido com a ponta dos dedinhos pintadas de vermelho e concentrada o suficiente para acabar aquele rapidamente. Estava empenhado apesar de saber que aquele euforia toda, era pelo homem que estava sentada. Sentiu aos poucos, o volume em baixo do seu bumbum se endurecendo, soltando um gemido baixinho, como um miado quando sentiu a grossura dele.
A palma da mão do oficial também começou a acariciar o meio da sua coxa aberta, dedilhando e percorrendo a pele da área devagarzinho, e arrancando alguns tremeliques dela. Que o deixava envergonhado. A pele em baixo dos dedos de Tomlinson era quentinha, escutando os suspiros inebriados e fraquinhos, aos poucos delineando toda a renda.
O tecido era áspero mas os cantinhos já estavam molhados, pelo melzinho dela. Louis soltou outra risada sentindo aquilo, quando sussurrou baixinho.
"Posso tocar, não é?". Styles acenou e Tomlinson soltava algumas outras provocações, sempre sustentando o seu sorrisinho cafajeste e safado nos lábios fininhos. "Claro que posso. Sempre fica toda molhadinha assim, ou é só pra mim?".
Os dedos agora acariciavam a linha com o grelinho exposto da sua bucetinha por cima da calcinha, espalhando toda gotinha que caia da xotinha dela, sentindo o lugar gordinho e todo pulsante, com um pouquinho de dificuldade por ela estar sentada em sua coxa. O quadril de Harry começava a se movimentar devagarzinho, apertando o pau de Louis em baixo das bandas e molhando um pouquinho do tecido pelo tanto que pingava.
Em uma das vezes, sentiu os dedos do oficial perder o contato, formando um biquinho chateado nos lábios até ter eles contornados pela sua lubrificação e Louis empurrando o seu gostinho dentro da própria boca, esfregando a ponta áspera do dedo na lingua molhadinha e então, voltando a acariciar lento e provocando toda a bucetinha dela, que escorria cada vez mais.
A saia pequena tampava sua mão para os colegas de trabalho ao lado, mas nada os impedia de ter uma ideia sobre o que acontecia em baixo da mesa de escritório.
"Não vai mais trabalhar Tomlison? Muito ocupado?". Matt jogou um sorriso de lado para os dois quando chegou ao lado da mesa com um copo de água nas mãos, à mando de Louis.
"Estou fazendo o meu trabalho, Matt". Louis umedeceu mais uma vez os lábios fininhos, com a outra mão levantando o tecido da saia e mostrando a intimidade meladinha dela, a ponta do indicador apertando o canal vaginal e empurrando um pouquinho da renda, fazendo ser dolorido e incomodo, mas esses dois só deixavam o garoto ainda mais insano.
Matt sorriu mais uma vez, soltando um suspiro quando olhou longamente para a xoxotinha dela antes de ser escondida novamente, por baixo da saia, e então o copo de água na mão de Louis.
Com a mão firme que tinha levantado a saia, subiu por seus seios e então pescoço, puxando enquanto apertava sua pele em pontos específicos e trazendo o corpo delicado mais próximo do seu peitoral, com a cabeça inclinada.
"Um pouco de água, você está trabalhando bastante, Harry". Levou o plástico aos lábios inchados, escorrendo um pouco por seu queixo e seus seios, enquanto o garoto se refrescava com a água gelada. Um beijo delicado foi depositado na bochecha funda dele, quando Styles terminou o liquido e respirava fundo, ainda com as pernas fraquinhas pelos toques delicados. "Você tá molhadinha pra' mim ainda, bem?". Perguntou baixinho, a barba ralinha roçando. Recebeu como resposta outro aceno tímido.
Louis trouxe a renda da calcinha que cobria a bucetinha para o lado, expondo toda ela molhadinha e o grelinho gordinho apertando no tecido da sua calça, e atravessando para pele da coxa de Tomlinson. "Se esfrega, enquanto eu termino os arquivos, esse vai ser o seu trabalho de agora".
Styles não pensou muito antes de segurar na borda da mesa de madeira e se esfregar na calça social para trás e para frente, apertando bem a bucetinha na perna dele, e soltando gemidinhos gostosos que ficavam altos cada vez mais, toda desesperadinha. Era tão gostosinho sentir toda apertadinha em cima daquele homem, e ao menos se importava com os olhares que atraiu por ser um pouco mais escandalosa do que deveria.
Os braços de Louis estavam em volta da sua cintura, com o rosto perto do seu enquanto fazia esforço para enxergar a tela do computador e digitar ao mesmo tempo que tinha ela gemendo alto e molhando sua coxa inteirinha por pingar tanto.
"Oh o-oh sim". Harry apertou as pálpebras, formando um biquinho excitada e levando dois dedinhos para o meio das pernas, apertando sua xotinha e esfregando mais rudemente nele.
"Porra". Tomlinson soltou uma risada anasalada. "Você parece que tá' na porra de um cio". Apertou a coxa desnuda com força com uma das mãos, fazendo que Harry jogasse sua cabeça para trás e gemesse mais alto que antes. "Se esfrega tão bem na minha perna, quero ver se vai chupar o meu pau tão bem quanto".
"Eu vou, eu vou, p-por favor". Encostou a pontinha do nariz nas veias presentes no pescoço de Tomlinson, sentindo o cheirinho forte e viril que vinha dele, molhando ainda mais.
"Você tem mais duas horas de trabalho, Hazzy, consegue ficar com ele na sua boquinha até o fim? Claro que consegue. Tenho certeza que vai gozar enquanto tem ele na sua boquinha também". Apertou novamente sua coxa estalando um tapa. "Me responde caralho!".
"Eu vou, eu prometo, eu prometo". Suspirou derrotada e ansiosa para fazer aquilo por ele, queria tanto chupar o seu membro, e sentir pingando todinho na sua boca.
"Agacha e abre meu zíper". Jogou as costas na cadeira mais uma vez, sorrindo quando ela acenou com a cabeça se aprontando em sentar no chão, em cima de uma de suas pernas, com a bucetinha ainda exposta fora da renda e todo o grelinho pingando.
Harry fez. E... porra. Ele parecia ser tão bom na palma da sua mão, as veias fininhas pulsavam na sua palma, com o caralho quente e a glande rosinha e brilhante chamando por ela. Sem qualquer outra instrução, começou a dar lambidinhas curtas na ponta do membro, circulando toda a a cabecinha e recolhendo a pré porra que espirrava na sua ponta da lingua.
Circulando e apertando toda a língua proeminente da glande, quando colocava ela dentro da boca e chupava forte, apertava a base do membro fazendo movimentos circulares masturbando o mais velho.
"Você vai gozar primeiro". Trouxe a cabeça com cachos para perto da manchinha de pré-gozo da bucetinha dela que ainda estava úmida na calça, esfregando os seu nariz e lábios propositalmente. "Sente o cheirinho da sua bucetinha amor, olha como ela é gostosa". Conduziu a mão de Harry para acelerar o movimento em seu membro, apertando com o polegar dele na cabecinha pulsante e gemendo com a cabeça inclinada pra trás quando fazia.
Styles esfregava a pontinha do nariz, deixando ela completamente molhadinha e apertando a boceta na própria pera se esfregando devagarzinho, mas já estava tão sensível e necessitada que sentia pulsar cada vez mais, quando apertava o seu grelinho na pele macia.
O polegar de Styles apertava e acariciava a cabecinha do membro grosso de Louis, brincando com a parte e sendo provocadora, ao mesmo tempo. Com o pescoço dolorido pelos dedos de Tomlinson que apertavam aquela área a forçando não se mexer.
Quando uma sensaçãozinha agitada tomou conta da sua barriga, gemendo baixinho na coxa musculosa sentiu o membro na palma da sua mãozinha pulsar mais forte, com a cabeça em direção a ele novamente, colocando a lingua molhadinha pra' fora e engolindo até metade enquanto gozava forte e esguichava em toda sua perna, gritando com o cacete grossinho na garganta.
"Porra, queria te chupar todinha, só de te sentir esguichando na barra da minha calça". Empurrou a cabeça dele com as bochechas vermelhas mais para baixo, acariciando as bochechas vermelhas e empurrando um pouquinho o quadril enquanto sentia esporrar em toda garganta macia e apertadinha.
Harry engoliu o sêmen do homem mais velho, se sentindo excitadinha ainda e apertando ainda mais suas coxas na xoxotinha. Tomlinson puxou sua cabeça para fora do membro ainda duro, deixando que ela respirasse um pouquinho, com todos os olhares dos homens que tinham esquecido por um momento nos dois, principalmente nela que chamava toda a atenção completamente. 
"Agora me esquenta". Voltou a pedir baixinho com ela obediente, que lambeu mais uma vez devagar a glande sensível colocando para dentro da boca e então se ajeitado com as mãos apoiadas nas coxas fortes, para que pudesse ter estabilidade.
A pontinha do nariz comprido, apertava no abdômen durinho do mais velho por todo tempo que se prosseguiu assim, respirando calminha pelo nariz para não engasgar e as vezes apertando o pau dele com a lingua, massageando deliciosamente dentro da sua boca junto com os movimentos de deglutição.
Louis tinha os dedos acariciando os cachos bagunçados e molhados de suor dele, com a outra mão escrevendo algumas coisas no computador apoiado na mesa, as sobrancelhas franzidas mostrando concentração, não o exatamente o trabalho mas em se segurar e não esporrar na garganta dolorida dela, depois de mais de trinta minutos que ela deixava seu caralho aquecidinho.
Quando o expediente acabou, Louis tomou conta que o garoto queria sentir seu gosto novamente, querendo ser um pouco exibido e provocar o garoto notoriamente mais novo, tirou sua cabeça da sua pélvis, sorrindo sacana para o biquinho chateado que ele tinha nos lábios.
"Você tem uma puta fixação oral, Styles". Voltou a arrumar as pequenas presilhas nos seus cachos, impossibilitando que ela voltasse a chupar sua glande gostosinho, assim como descobriu que ela gosta.
"Bom descanso. Quem sabe você volta amanhã pra' terminar o seu trabalho, foi boa o suficiente por hoje sendo gostosinha". Chupou o lábio inferior dela antes que se levantasse. Por fim, deixando Styles ir em bora.
E ignorando qualquer outro olhar em sua direção, por mais que amasse, relaxou na cadeira, suspirando satisfeito pela boquinha gostosa dela.
Quando doze minutos se passaram ele finalmente escutou o telefone da delegacia tocar, depois de um bom tempo sem chamadas encaminhadas, o que inflava seu ego obviamente em achar que estavam fazendo um trabalho incrível por não obterem denúncias e outros casos novos. Sendo os arquivos que digitalizavam apenas de antigos.
"Quem é?".
"Você pode me ajudar por favor?". A voz tremelicou no outro lado da linha.
"Onde você está? O que aconteceu?". Se atentou às próximas palavras da pessoa com a voz fina pelo telefone. Escutava alguns pequenos ruídos e talvez chiados, a pessoa estava longe.
"Eu vi uma criatura estranha". Exclamou assustado, a voz. Louis riu audivelmente, decidindo prosseguir com as perguntas, e talvez descobrir onde o engraçadinho está.
"Certo, onde você está". Fingiu estar anotando algo, entediado.
"No século vinte".
"Para de brincar com a porra da minha cara. Você acha que tá' ligando pra quem?". Desaproximou o telefone do ouvido, cansado.
"Por favor, eu acho que era um vamp-".
***
 certo, esse smut era programado ser um pouquinho mais curto, espero que tenham gostado de todo jeito e me desculpem por qualquer errinho, me avisem se tiver ;)) até daqui a pouco
430 notes · View notes
twinflames28 · 5 months ago
Text
Manifesting
This is not my edit, I found it on Pinterest but if you know the creator please let me know
Tumblr media
1K notes · View notes
babyhornygjrl · 2 months ago
Text
💖Louis fodendo a bucetinha do Harry, fics do ao3 💖
The smoke Between your legs
Such A Naughty Student You Are - essa é um trio entre o Lou, Ben e Harry.
Roll me into your heart
How do You do That Shit?
you can be my lover, i can be your love
boom, boom, don't you wanna go
get down
Valentine's Day
Baby Girl, Let Me Work My Magic
sentimental values
Open Up Your Honey Pot - Harry ômega intersex (ele tem os dois)
Looking to Drown in Your Ocean - Harry ômega intersex
in the shallow water, you can swim around me (i won't mind)
Counterculture - Harry ômega intersex
Second Spring - Essa é uma long fic muito fofa, o Harry é uma mulher trans e mostra a vida deles depois que ela faz a cirurgia pra tirar o pau
Rescue Me from My Destiny
451 notes · View notes
hslwt91 · 4 months ago
Text
Tumblr media Tumblr media Tumblr media Tumblr media
when you know...
970 notes · View notes
bravecreature · 4 months ago
Text
Do you have a water gun?
Tumblr media
A little one?
Tumblr media
No?
Tumblr media
I've never been more determined to give a grown adult man a water gun! He just wanted a water gun!!!
582 notes · View notes
halos-little-freak · 11 months ago
Text
Tumblr media Tumblr media Tumblr media
“If I'm louder, would you see me?”
2K notes · View notes